SONETO PRA VOCÊ (leni)

É uma saudade tão antiga, essa que sinto agora…
Uma dor tão profunda, que meu ser todo envolve.
já tanto tempo faz que partiste…e agora,
recomeço a sofrer a dor desse vazio.

As vezes, me pergunto se de fato partiste,
pois até tua voz inda canta em meu quarto silencioso.
E as gargalhadas loucas, que juntos, tantas vezes demos,
parece que renascem,  mas,  ao tentar ouví-las, emudecem…

Faz tanto tempo agora, e já nem lembro quando,
com frases apaixonadas, gravamos nosso amor
nas árvores e folhas daquele nosso jardim…
e agora, já distantes dos meus sonhos adultos,
tombaram na saudade e na dor desse silêncio.

Não me afagam mais tuas mãos,
não me contemplam mais, com aquela ternura, teus olhos de paixão…
Se pudesses saber como te amo, ainda !
Mas, jamais saberás…
pois nem àquelas árvores, contei o meu segredo
e nem ao menos, saberás que é de tí que eu falo…

Estou só…o meu mundo está tão vazio, que chego a sentir medo.
Medo do silêncio, medo da solidão,
dessa saudade que voltou…

Ah…como é triste ficar sem você,
saber-te tão distante !
Onde te encontrar ? Onde te procurar ?
Eu nem ao menos, sei…

Vou esperar que a dor do meu amor
chegue até onde estás e te traga de volta.
Pois a saudade é terrível…acredite…
E é grande…é muito grande !

SONHANDO (Leni)

Quando em mim, os teus olhos, pousas com ternura,
enchendo de carinho meu olhar amante,
eu sinto que me fogem todas as tristezas,
para sentir somente, teu amor, que é puro…

Se pudesses saber o grande amor que sinto
e as horas de tristeza, que por tí padeço,
viverias pensando em mim, eternamente,
sem jamais esquecer do amor que te dedico.

Quero que sejas assim…assim, exatamente,
como o sentí tantas vezes, em sonhos, sem te ver.
Esse sorriso franco, esse olhar de ternura,
esse rosto tão lindo, que ao me olhar, tonteia…
e me faz flutuar em nuvens de carinho.

Eu o queria assim…sem mesmo conhecê-lo
jamais pensei poder um dia conseguí-lo,
mas, agora que o tenho, sou feliz…no entanto,
nem sei bem explicar, porque me contagia
essa onda febril de amor e de encanto,
sem saber, realmente, se posso te amar.

O que sei, é que quero viver pra você
e preciso sentir em teus lábios frementes,
uma frase de amor…a dizer que me queres.
Só preciso te amar, para poder viver,
pois eu já aprendí viver por teu carinho.

Quero que sejas assim…enérgico e amável.
Que enxugues meus olhos, com teus beijos quentes,
quando choro…sem mesmo saber te explicar
o motivo, a razão, de estranhos pensamentos
percorrerem minh’alma confusa e sonhadora.

Fique sempre comigo e assim, poderei
sentir-me segura, envolvida em teus braços
e aqueça com carinho, esse corpo que é teu
e faz-me sentir que és meu…que sou tua…
pra que assim, nesse sonho eu possa viver
e não se apague nunca, essa ilusão tão pura

MEUS FILHOS (Leni)

Eu pensei em fazer um poema de canto,
onde houvesse alegria, ternura, carinho e a tristeza não mais penetrasse com o pranto
em meus versos sem sonhos,  estrada sem caminho…

Eu queria escrever e falar de alegrias,
dessa brisa serena, imensa poesia,
que baila contente e  embala meu canto
e enfeita esta tarde de frio…tão triste…

Mas eu não conseguia achar um momento
onde a paz preenchia meus dias e sonhos
e falei de tristeza…ilusão…desamores,
relembrando somente momentos tristonhos

E em tamanha tristeza, imensa agonia,
já não via mais nada que acalentasse
meus dias e sonhos, meus versos e cantos
e essa chama de dor, de minh”alma apagasse…

Nessa dor incessante, cruel desencanto,
procurei um alento, um consolo, um descanso
e busquei entre as flores do jardim, um canto…

E lá estavam  vocês…doce olhar…riso manso
e seguindo esse rastro, encontrei esperança
e falei em vocês, meus encantos e amores
pra não dizer…enfim…que não falei de flores!