SONHANDO (Leni)

Quando em mim, os teus olhos, pousas com ternura,
enchendo de carinho meu olhar amante,
eu sinto que me fogem todas as tristezas,
para sentir somente, teu amor, que é puro…

Se pudesses saber o grande amor que sinto
e as horas de tristeza, que por tí padeço,
viverias pensando em mim, eternamente,
sem jamais esquecer do amor que te dedico.

Quero que sejas assim…assim, exatamente,
como o sentí tantas vezes, em sonhos, sem te ver.
Esse sorriso franco, esse olhar de ternura,
esse rosto tão lindo, que ao me olhar, tonteia…
e me faz flutuar em nuvens de carinho.

Eu o queria assim…sem mesmo conhecê-lo
jamais pensei poder um dia conseguí-lo,
mas, agora que o tenho, sou feliz…no entanto,
nem sei bem explicar, porque me contagia
essa onda febril de amor e de encanto,
sem saber, realmente, se posso te amar.

O que sei, é que quero viver pra você
e preciso sentir em teus lábios frementes,
uma frase de amor…a dizer que me queres.
Só preciso te amar, para poder viver,
pois eu já aprendí viver por teu carinho.

Quero que sejas assim…enérgico e amável.
Que enxugues meus olhos, com teus beijos quentes,
quando choro…sem mesmo saber te explicar
o motivo, a razão, de estranhos pensamentos
percorrerem minh’alma confusa e sonhadora.

Fique sempre comigo e assim, poderei
sentir-me segura, envolvida em teus braços
e aqueça com carinho, esse corpo que é teu
e faz-me sentir que és meu…que sou tua…
pra que assim, nesse sonho eu possa viver
e não se apague nunca, essa ilusão tão pura

Anúncios

PARADA OBRIGATÓRIA ( Leni )

Chega um momento em que a vida nos prega
uma peça sem graça, que nos faz pensar…
Chega um momento em que a presença machuca
e a ausência é suave, como a garça no céu.

Chega um momento em que já não é preciso
sorrir pra ser feliz, nem chorar pra sofrer,
pois se pra tudo, é tarde !

Chega um momento, em que andar não é preciso
e correr, é melhor que estar sentada
e a marcha triste dessa caminhada
nos lembra noite escura de seresta
e um seresteiro…só…cantando ao som do nada.

Chega um momento em que as lágrimas brotam
e o sorriso salta, sem ter que ao menos explicar porque.
Chega um momento em que amar já não faz falta
e o sofrer nem ao menos incomoda.

Chega um momento em que  a vida em rebuliço
nos entrega a semente para ser replantada.
E essa  semente é vida
e essa vida é tudo
e esse tudo começa, e, novamente acaba,
e se transforma em pó
e num repente…é nada.