ETERNA ROSA DOS VENTOS (leni)

Cheiro de terra molhada…um vento arrastando folhas,
um sino sempre entoando um canto de liberdade
num mosteiro solitário…
A chuva caindo em prata
no chão coberto de folhas.

Sol vermelho, despedindo do campo em final de dia…
colorindo o universo com as cores do arco íris
Aves, sempre em revoada pra encontrar seu descanso
Terra, onde plantei meus sonhos
que se confundem com a lua.

A noite se aproxima, mas o dia continua
se recusa a ir embora!
Panorama de saudade da infância que me acompanha.

Menina, meus pés descalços, sentindo a terra molhada,
depois que a chuva caiu.
Nostalgia das lembranças com cheiro de liberdade.
Desperta minha saudade…sacia meu coração…

Aguça tantas lembranças, num misto de sentimentos
que só tem quem pisa aqui.
Quero me plantar na terra, montanhas e cachoeiras
e ficar a vida inteira entrelaçada com o vento
perpetuando os momentos desse mágico lugar.

Tudo por aqui fascina…Toquinho, Amora, Menina
com a ternura da Nina…e os dengos do Jatobá
numa constante harmonia, entre montanhas e vales…
muitas redes na varanda e os cantos de Joáo Bá.

A lua, é prata incrustada nesse incrível firmamento
e a beleza pura e rara das tardes nas cachoeiras,
das noites entre fogueiras

Quero me plantar nas matas com cheiro de hortelã
e acordar impregnada com perfume de alecrim
anoitecer iluminada pelo ” sol” dos vagalumes
e amanhecer com o canto dos pássaros só pra mim

Tudo isso existe aqui… tudo isso só se vive
entrelaçado a momentos
de magia, que se encontram nesse mágico lugar…
de sonhos e encantamentos…
que se enraízam e eternizam
na eterna Rosa dos Ventos.

Anúncios

VIAGEM PROGRAMADA (leni)

E a mala pronta…eternamente pronta…
num canto ermo da imaginação.
E o sol na porta
me cobrando a vida,
me cobrando os sonhos,
me mostrando a hora

E a mala pronta…eternamente pronta…
e essa ilusão, a me chamar de volta.
E o sol na porta,
me mostrando a vida,
me mostrando os sonhos,
me cobrando a hora.

Lá fora, é dia…enquanto dentro, há noite…
E o sol na porta, enquanto dentro, há sombra.
Arrumo a mala – que já estava pronta –
saio pra vida, pra buscar meus sonhos
e enfrento o mundo…carregando a mala…

———-o0o———–

APENAS SONHOS (leni)

Era outono…e eu seguia
em busca de um velho sonho.
Andei caminhos e trilhas, que nem me lembrava mais.
Entrei em rios, cavernas, passei por mares e fontes
fui por estradas errantes, que jurei nunca passar !

Mas, fui…em busca da vida, do sol, do sonho esperado
promessa, em forma de sonho
sonho de amor do passado.

Cheguei tarde, mas…cheguei.
O sol, o amor, a promessa haviam se esfumaçado
nas trilhas, por onde eu fui…

Mas, cheguei…e enfim, cansada,
voltei sem encontrar nada !
Era sonho…era quimera…
A vida, o sol, a esperança, era um sonho de criança,
sonhado na primavera…

SAUDAÇÃO (Leni)

Olá amigo Sol…há quanto não o via !
como estás diferente !
com todo esse esplendor, parece até que estás mais quente…!

Sabe, Sol vou te contar, na tua ausência,
o que de bom e mau aconteceu na Terra.
Não sei bem se de bom  terei muito que dizer,
porém, vou explicar como essa tua amiga,
a tal substituta que aquí deixaste,
se portou nas longas férias que tiraste.

Não sei se por maldade, ou por necessidade,
ela chegou feroz, medonha, irreverente,
a derrubar moradas, destelhar abrigos,
a ceifar até a vida de muito ser inocente,
que saudosos de tí, nem te puderam ver.

Quanta coisa aconteceu nesse louco período.
Nem imaginas como és estimado e querido.
A Terra, inteirinha…chorava dia e noite com saudade sua.
Estava fria e triste, abandonada e vazia.
Eu cheguei mesmo a pensar que já não mais voltarias.

Mas…que há ? Estás partindo ?
Já sei…queres brincar que estás
abandonando novamente o mundo.
Mas eu sei que não vais, estás apenas triste.
Também, nem bem chegaste
e as mágoas passadas já te fiz saber !

Eu sei que vais voltar e chegarás sorrindo
e aqui ficarás para sempre…deveras…
e nos encontraremos por muito tempo ainda,
felizes, entre flores, em muitas primaveras