SONETO PRA VOCÊ (leni)

É uma saudade tão antiga, essa que sinto agora…
Uma dor tão profunda, que meu ser todo envolve.
já tanto tempo faz que partiste…e agora,
recomeço a sofrer a dor desse vazio.

As vezes, me pergunto se de fato partiste,
pois até tua voz inda canta em meu quarto silencioso.
E as gargalhadas loucas, que juntos, tantas vezes demos,
parece que renascem,  mas,  ao tentar ouví-las, emudecem…

Faz tanto tempo agora, e já nem lembro quando,
com frases apaixonadas, gravamos nosso amor
nas árvores e folhas daquele nosso jardim…
e agora, já distantes dos meus sonhos adultos,
tombaram na saudade e na dor desse silêncio.

Não me afagam mais tuas mãos,
não me contemplam mais, com aquela ternura, teus olhos de paixão…
Se pudesses saber como te amo, ainda !
Mas, jamais saberás…
pois nem àquelas árvores, contei o meu segredo
e nem ao menos, saberás que é de tí que eu falo…

Estou só…o meu mundo está tão vazio, que chego a sentir medo.
Medo do silêncio, medo da solidão,
dessa saudade que voltou…

Ah…como é triste ficar sem você,
saber-te tão distante !
Onde te encontrar ? Onde te procurar ?
Eu nem ao menos, sei…

Vou esperar que a dor do meu amor
chegue até onde estás e te traga de volta.
Pois a saudade é terrível…acredite…
E é grande…é muito grande !

Anúncios

DESPERTAR SOMBRIO ( leni)

Amanheceu…e a noite ainda existe em minha pobre vida
mas, nem sequer percebo, pois, adormecida e muda,
estou olhando o vazio, que deixaste, sem pena
em minh’alma, inspirando este triste poema…

Amanheceu…e a noite ainda existe em minha pobre vida
e todo esse silêncio me fala de você.
A chuva, que ora ouço, o farfalhar das folhas,
até mesmo o relógio, que naquela parede badalava incessante,
contando os minutos, em que deslumbrada,
esperava você, que chegava sorrindo, e ao sentir-me em teus braços, docemente envolvida,
esquecia da longa espera, tão sofrida
e da eterna solidão que eu estava sentindo.

Amanheceu…e a noite ainda existe em minha pobre vida
mas não quero…não posso…não devo pensar
quero ficar alheia e bem distante da cruel realidade…
não me deixe saber e nem sequer prever,
que já não é mais  noite e a manhã já chegou;
pois sentindo essa dor imensa da verdade,
tenho medo que assim, desesperada e perdida
diante dessa vida,  eu venha enfraquecer
e ouvindo o silêncio, que tão alto chora,
sentindo a tua ausência,
essa escura manhã, me   veja enlouquecer..