ETERNA ROSA DOS VENTOS (leni)

Cheiro de terra molhada…um vento arrastando folhas,
um sino sempre entoando um canto de liberdade
num mosteiro solitário…
A chuva caindo em prata
no chão coberto de folhas.

Sol vermelho, despedindo do campo em final de dia…
colorindo o universo com as cores do arco íris
Aves, sempre em revoada pra encontrar seu descanso
Terra, onde plantei meus sonhos
que se confundem com a lua.

A noite se aproxima, mas o dia continua
se recusa a ir embora!
Panorama de saudade da infância que me acompanha.

Menina, meus pés descalços, sentindo a terra molhada,
depois que a chuva caiu.
Nostalgia das lembranças com cheiro de liberdade.
Desperta minha saudade…sacia meu coração…

Aguça tantas lembranças, num misto de sentimentos
que só tem quem pisa aqui.
Quero me plantar na terra, montanhas e cachoeiras
e ficar a vida inteira entrelaçada com o vento
perpetuando os momentos desse mágico lugar.

Tudo por aqui fascina…Toquinho, Amora, Menina
com a ternura da Nina…e os dengos do Jatobá
numa constante harmonia, entre montanhas e vales…
muitas redes na varanda e os cantos de Joáo Bá.

A lua, é prata incrustada nesse incrível firmamento
e a beleza pura e rara das tardes nas cachoeiras,
das noites entre fogueiras

Quero me plantar nas matas com cheiro de hortelã
e acordar impregnada com perfume de alecrim
anoitecer iluminada pelo ” sol” dos vagalumes
e amanhecer com o canto dos pássaros só pra mim

Tudo isso existe aqui… tudo isso só se vive
entrelaçado a momentos
de magia, que se encontram nesse mágico lugar…
de sonhos e encantamentos…
que se enraízam e eternizam
na eterna Rosa dos Ventos.

Anúncios

ESTRANHA SAUDADE ( Leni )

Que saudade é essa
que me sangra o peito e me corrói a alma ?!
Que estranhas lembranças
invadem meus sonhos, percorrem minh’alma !
Que dor mais doída,
essa que me acompanha em noites mal dormidas !

Será de um tempo que eu nunca vivi ?
mas queria tanto…!
ou será da vida que tive e perdí ?
triste desencanto…!

Tento não lembrar esse profundo abismo,
sentimento insano…
mas quando adormeço, fica mais intensa
a dor dessa verdade
e revive a história que deixei num tempo
que ficou distante…

Será que é saudade de antigos sonhos,
que nunca vivi?
Ou, talvez, lembranças de um feliz passado,
que nem conheci?

Restos de saudade…de uma promessa de felicidade
que perdí no tempo e nem sequer vivi…
É uma falta que nem sei do que
uma saudade que nem sei de onde
é nostalgia que me tira a calma…
que me sangra o peito e me corrói a alma…

———-o0o———-

O AMOR ESTAVA TÃO PERTO ! (Leni)

Só agora compreendí…
que a vida não tem retorno
que os sonhos se realizam, se guardados na lembrança
e maturados na alma…

Só agora compreendí…
que o amor tem muitas formas de entrar em nossa vida
pra alegrar nosso caminho e aguçar nossa esperança.
Chega expontâneo e sereno, como riso de criança.

Só agora compreendí…
que sonho não tem limite
e a felicidade existe e está perto…muito perto…
das nossas longas jornadas.

Só agora compreendí…
que teu amor era tudo, que enriquecia meu mundo
e era som em meu silêncio.
E isso tudo era vida
tudo isso era verdade…

Mas o que antes foi sonho, tornou-se, agora, saudade
de um mundo tão mais bonito
que me escapou, nem sentí…
E a vida que era tão minha, voou para bem distante
levou consigo momentos especiais, tão marcantes,
que não consegui guardar.

Por muito querer viver,
me perdí pelos caminhos
e fiquei só…e pequena
sofrendo com minhas penas, a saudade do meu ninho
da vida, tão cobiçada, que ví desaparecer…

Ficou tudo muito longe dos sonhos que acreditei
do amor que eu tanto sonhei!
Mas se foi…já não tem volta…
quis demais…pensei ter pouco…
sonhei tanto e como louco,
me debrucei na conquista do muito… e tudo perdí…

Porque o amor chega calmo, silencioso e discreto
e esteve sempre tão perto, mas não o reconhecí !
Não me sinto fracassada
sei que amei e fui amada
e pra realizar meus sonhos, estive perto…tão perto…
mas troquei o que era certo, por insanos devaneios
segui, fugaz e sem freio, cobiçando com anseio
o que eu não podia ter…
tolo fui…paguei o preço…
por tudo isso, padeço…
mas pra meu pesar eterno,
só agora compreendí…

———-o0o———-

ESTRADA VAZIA (leni)

Se um dia você partir, leva também essa lua,
pois não a quero comigo,
iluminando as estradas que sozinha irei seguir…

Quero bem escura a noite
e sem luz o meu caminho
pra que ninguém reconheça esse vulto solitário
caminhando sem você…

Quero a noite, passo a passo, caminhar esse caminho
e chorar o meu fracasso
e esse resto de saudade…

Quero me perder na noite e não achar a saída…
quero ficar esquecida e definhar pouco a pouco,
nessa estrada que era nossa…

Quero escrever inda um pouco,
depois morrer em meus versos…
quero ainda achar um tema, que possa falar de nós
e deixar para você esse resto de poema…

———-o0o———-

AUSÊNCIA (Leni)

Num dia triste e sem graça,
mais outono, que verão…com vento frio, soprando
e a chuva, querendo cair, invadindo a estação…

Você partiu…sem aviso…
sem carta…sem despedida…
suavemente e tranquila,
como foi a tua vida.

Não adiantaram pranto, tristeza, preces nem luto…
a cama ficou vazia…
aqui, só restou teu fruto.

Eram dois…sobreviveram
sem alento…sem você…
Seguiram em frente, sozinhos,
cercados por tanta gente…
tremendamente sozinhos!

Hoje, adultos, vida afora,
maturaram em estufas
passando anos inteiros buscando tua raiz.
Choramos há 15 anos, esse espaço tão vazio.
Temos saudade de tudo que você foi e seria…

Todos sofrem…teus alunos, teu coral, tua família.
Todos choram a ausência
dessa mulher verdadeira, destemida e tão criança !

Descansa, Lia-menina…
Lia-mulher, companheira…
Nós aqui, não te esquecemos, minha fiel escudeira…

Por tantos sonhos sonhados, sonhos de uma vida inteira
que você deixou pra trás,
nós te rendemos tributo,
eternamente de luto por você, meu ombro amigo…

Esposa e mãe valorosa,
filha, irmã, amiga, tia…
Essa era nossa Lia
essa era nossa pomba, que voou num certo dia…
escapou de nossas mãos, voando em rumo certeiro,
pra glória, pro infinito,
para um lugar tão bonito que Jesus lhe reservou.

Aumentaram as estrelas e as luzes, no infinito
por esse canto bonito, que a todos contagiou
e enquanto aqui caminhava, você nos presenteou.

Agora, voa e brilha no céu azul dos teus sonhos
pois nossos olhos, tristonhos, não te alcançarão jamais.
Voa…garça destemida…
Voa…andorinha livre…

Há 15 anos sofridos, essa dor nos ameaça
pois você se foi pra sempre e nos deixou, desde então…
partindo pro teu destino,
num dia triste e sem graça
mais outono…que verão..

SONETO PRA VOCÊ (leni)

É uma saudade tão antiga, essa que sinto agora…
Uma dor tão profunda, que meu ser todo envolve.
já tanto tempo faz que partiste…e agora,
recomeço a sofrer a dor desse vazio.

As vezes, me pergunto se de fato partiste,
pois até tua voz inda canta em meu quarto silencioso.
E as gargalhadas loucas, que juntos, tantas vezes demos,
parece que renascem,  mas,  ao tentar ouví-las, emudecem…

Faz tanto tempo agora, e já nem lembro quando,
com frases apaixonadas, gravamos nosso amor
nas árvores e folhas daquele nosso jardim…
e agora, já distantes dos meus sonhos adultos,
tombaram na saudade e na dor desse silêncio.

Não me afagam mais tuas mãos,
não me contemplam mais, com aquela ternura, teus olhos de paixão…
Se pudesses saber como te amo, ainda !
Mas, jamais saberás…
pois nem àquelas árvores, contei o meu segredo
e nem ao menos, saberás que é de tí que eu falo…

Estou só…o meu mundo está tão vazio, que chego a sentir medo.
Medo do silêncio, medo da solidão,
dessa saudade que voltou…

Ah…como é triste ficar sem você,
saber-te tão distante !
Onde te encontrar ? Onde te procurar ?
Eu nem ao menos, sei…

Vou esperar que a dor do meu amor
chegue até onde estás e te traga de volta.
Pois a saudade é terrível…acredite…
E é grande…é muito grande !

LABIRINTO (Leni)

A vida está indo embora,
se esgotando, pouco a pouco
e eu ainda nem vivi !

Tudo passou tão depressa, mas chegou tão diferente
do que sonhei e queria…
Estou ferida e esfolada
meu coração bate forte, perdido, sem rumo certo.
O meu mundo está deserto,meu caminho tão estreito…
e não encontro a saída…

Eu fui seu alvo perfeito.
Fui atingida e marcada.
Vivo escondendo da vida,
com medo do que chegar, num pranto amargo e sofrido,
que por ninguém entender, eu o mantenho contido.

Apaguei todos os rastros, de todos os meus caminhos.
Deixei escuras, as estradas onde passei com meus sonhos.
Sonhei minha vida inteira…te fazer e ser feliz.
Não consegui…ou não pude…

Voce me imprensou no caminho, trancou a minha saída,
controlou também meus passos,
meus sonhos, minha tristeza,
me obrigou a ter saudade de tudo que eu possuia.

Pisou em meus sentimentos;
brincou com minha emoção,
destruiu minha vontade de viver e ser feliz.

Agora, não tenho alvo, nem meta a ser atingida
esqueci como se brinca…se sorrí…se é feliz…
Não tenho direito a nada.
De chorar – quando quiser-
de sorrir – se der vontade-
nem posso dizer se sofro, pois jamais me entenderias !

Perdí minha segurança, perdí minha confiança,
me perdí pelos caminhos, onde ando feito sombra.
Nem sei dizer o que sinto, dentro desse labirinto;
nem se vou achar saída…

Não sei como minha vida foi ficando desse jeito
sem brilho, sem esperança.
Vou tentar mudar meu mundo; vou ver se ainda consigo.
Vou refazer minha vida, por rumos bem diferentes.
Quero aprender ser sozinha e saber viver comigo.
Vou me trancar em mim mesma.

Não quero mais confessar minhas tristezas e mágoas,
pois você não foi sensível, pra entender meus sentimentos…
Nunca mais mostro meu pranto.
Vou ser feliz…eu garanto !