SONETO PRA VOCÊ (leni)

É uma saudade tão antiga, essa que sinto agora…
Uma dor tão profunda, que meu ser todo envolve.
já tanto tempo faz que partiste…e agora,
recomeço a sofrer a dor desse vazio.

As vezes, me pergunto se de fato partiste,
pois até tua voz inda canta em meu quarto silencioso.
E as gargalhadas loucas, que juntos, tantas vezes demos,
parece que renascem,  mas,  ao tentar ouví-las, emudecem…

Faz tanto tempo agora, e já nem lembro quando,
com frases apaixonadas, gravamos nosso amor
nas árvores e folhas daquele nosso jardim…
e agora, já distantes dos meus sonhos adultos,
tombaram na saudade e na dor desse silêncio.

Não me afagam mais tuas mãos,
não me contemplam mais, com aquela ternura, teus olhos de paixão…
Se pudesses saber como te amo, ainda !
Mas, jamais saberás…
pois nem àquelas árvores, contei o meu segredo
e nem ao menos, saberás que é de tí que eu falo…

Estou só…o meu mundo está tão vazio, que chego a sentir medo.
Medo do silêncio, medo da solidão,
dessa saudade que voltou…

Ah…como é triste ficar sem você,
saber-te tão distante !
Onde te encontrar ? Onde te procurar ?
Eu nem ao menos, sei…

Vou esperar que a dor do meu amor
chegue até onde estás e te traga de volta.
Pois a saudade é terrível…acredite…
E é grande…é muito grande !

Anúncios

DECEPÇÃO (Leni)

Como um cortejo de morte,
sinto meu corpo partindo.
Fujo de todos, com medo
da angústia que estou sentindo.

Sou pássaro, solitário, voando em busca dos pais.
Sou como árvore triste,
que ao ver seu galho caindo,
em vão, procura firmá-lo,
mas, forças, já não tem mais.

Estou tão só, neste mundo,
que viver nem me interessa.
Corram todos, passem todos
por mim, que não tenho pressa.

Não sei definir meu canto,
nem mesmo explicar meu pranto.
Qual apartamento, vago,
meu coração, tão sozinho, tem  placa para alugar.
Mas, como dono zeloso,
vou pedir, pra quem se informa,
que volte num outro dia,
pois agora, urgentemente,
vou fechá-lo pra reforma.