SÚPLICA (leni)

Quando se está só, no mundo,
como o lamento tem eco !
Como nosso “ai” profundo, se espalha pelo caminho

Profunda, é minha tristeza,
vazia, minha esperança…
juras e juras, perdidas na amplidão desse universo.

Quando se está só, no mundo,
como o lamento tem eco !
um eco triste e sem graça, que vai, e volta sozinho.

Vazia está minha vida,
escuro, o caminho incerto,
floresta negra e sombria, leva meu corpo ao deserto…

Por favor, ouçam meu grito,
escutem todos, o eco
dessa voz rouca e aflita, senão, eu morro, por Deus !

Senão, o espaço me assusta…
É muito só, meu caminho.
Não deixem que esse eco vá, e retorne sozinho…

Anúncios