ETERNA ROSA DOS VENTOS (leni)

Cheiro de terra molhada…um vento arrastando folhas,
um sino sempre entoando um canto de liberdade
num mosteiro solitário…
A chuva caindo em prata
no chão coberto de folhas.

Sol vermelho, despedindo do campo em final de dia…
colorindo o universo com as cores do arco íris
Aves, sempre em revoada pra encontrar seu descanso
Terra, onde plantei meus sonhos
que se confundem com a lua.

A noite se aproxima, mas o dia continua
se recusa a ir embora!
Panorama de saudade da infância que me acompanha.

Menina, meus pés descalços, sentindo a terra molhada,
depois que a chuva caiu.
Nostalgia das lembranças com cheiro de liberdade.
Desperta minha saudade…sacia meu coração…

Aguça tantas lembranças, num misto de sentimentos
que só tem quem pisa aqui.
Quero me plantar na terra, montanhas e cachoeiras
e ficar a vida inteira entrelaçada com o vento
perpetuando os momentos desse mágico lugar.

Tudo por aqui fascina…Toquinho, Amora, Menina
com a ternura da Nina…e os dengos do Jatobá
numa constante harmonia, entre montanhas e vales…
muitas redes na varanda e os cantos de Joáo Bá.

A lua, é prata incrustada nesse incrível firmamento
e a beleza pura e rara das tardes nas cachoeiras,
das noites entre fogueiras

Quero me plantar nas matas com cheiro de hortelã
e acordar impregnada com perfume de alecrim
anoitecer iluminada pelo ” sol” dos vagalumes
e amanhecer com o canto dos pássaros só pra mim

Tudo isso existe aqui… tudo isso só se vive
entrelaçado a momentos
de magia, que se encontram nesse mágico lugar…
de sonhos e encantamentos…
que se enraízam e eternizam
na eterna Rosa dos Ventos.

DECLARAÇÃO (Leni)

Hoje o céu está triste, sem lua, vazio…
Mesmo a estrela mais linda, escondeu…sente frio…
esse frio que em mim, também fere e espanta
Já não vejo mais nada que alegra ou encanta,
pois me falta você, esse rosto querido,
essas mãos de ternura, esses olhos tão doces
esse sorriso meigo, que me faz contente…

Tudo isso sumiu… e assim, num repente,
tudo isso fugiu…
Minhas mãos, que estavam nas suas, coladas,
ficaram sozinha, vazias, paradas…
e meus olhos chorando, procuram ao redor
esse alguem que me falta,
esse alguem que me ama, e faz de meus versos um sonho de amor.

Mas não vê, não encontra, e sigo tristonha,
sabendo que o alguem que me falta é você.
Então paro…
Não posso…não quero seguir caminhando sozinha…
sentindo esse frio, esse vento vazio,
essa noite escura, esse canto sombrio,
esse embalo sem canto, esse céu sem carinho,
essas folhas sem vida, esse tudo sem nada…

E sentindo um vazio, em prece calada,
eu só penso em você…e só você eu vejo,
implorando aos céus esses muitos desejos,
que são necessários à minha jornada.

Meu amor é tão grande…imenso…profundo,
que se um dia qualquer,
eu sorrindo, ou chorando, partir desse mundo,
ouvirás mesmo assim, minhas frases de amor,
no sussurro do vento, no farfalhar das folhas,
no cantar de uma ave, no céu, no infinito…
ouvirás como um eco,
essa voz, que talvez, pra você esteja morta…
num lamento sentido, como um acalanto,
virá repousar em tu’alma, num canto
e esse canto dorido, essa voz esquecida,
dirá que fui eu quem mais te amou na vida!