AMOR IMPOSSÍVEL (leni)

Se um dia, eu sorrindo passar por você
fingindo alegria nesse olhar amante,
não me olhe…procure esconder de meus olhos
o amor que o destino me negou…no entanto,
de minh’alma não sai…e assim, vacilante,
eu procuro abafar esse sonho num pranto.

Não procure jamais entender se te amo
pois nunca saberás se te quero, ou engano.
Tentarei esquecer, ou fingir que esqueci,
abafando em minh’alma esse amor despertado,
que por ser impossível, terá que morrer,
pois não tinha o direito de tê-lo criado.

Eu quisera poder te amar loucamente
e que o mundo, esse amor só a mim entregasse
e em tu’alma, minh’alma enlaçada ficasse
sem mais nada temer…mas, loucura…não posso
e por isso, eu procuro fingir que esqueci
esse amor, pelo qual, sem alento e esperança,
numa febre de amor, em delírio tão louco,
nessa noite passada morri mais um pouco…!

———-o0o———-

Anúncios

ENCONTRO INESPERADO (Leni)

Senhor, há quanto tempo que Te procurava,
mas, Te buscava tão longe…tão distante…
que não chegava a Te alcançar, jamais…

Eu pensei que estivesses nas alturas
e vestisses uma roupa tão alva, tão purpúrea…
que não pudéssemos, sequer, tocar em suas vestes !

Mas, me enganei…
e hoje sei onde estás realmente.
Ainda ontem, quando caminhava…Te encontrei !!
Sim…eu Te encontrei, lembras Senhor ?
Tu estavas rasgado e me pedias auxílio…

Quando voltei, a noite, Tu te lembras ?
novamente Te encontrei na rua,
naquela mãe chorando, com seu filho enfermo
que pedia ajuda, e a criança, mal agasalhada,
naquela noite fria, estava quase nua !

Agora sei que estás aqui, em meus irmãos,
quando os socorro, quando os auxilio.
Estou tentando seguir Tua filosofia :
-“FAMINTO ESTAVA E ME DESTES DE COMER…”

isso disseste um dia, há muito tempo…
mas, ainda hoje, essa frase está presente.
Já compreendo, enfim, como posso Te honrar
e já sei…afinal…onde posso Te achar.

Tanto tempo perdido eu passei procurando
a melhor forma de poder Te amar.
Ontem achei…e agora reconheço
que estavas ao meu lado a toda hora.
E ao invés disso, eu Te colocava
numa distância que não existia.
Pois estás muito perto, ali na rua,
a dormir na calçada, numa laje fria..