O AMOR ESTAVA TÃO PERTO ! (Leni)

Só agora compreendí…
que a vida não tem retorno
que os sonhos se realizam, se guardados na lembrança
e maturados na alma…

Só agora compreendí…
que o amor tem muitas formas de entrar em nossa vida
pra alegrar nosso caminho e aguçar nossa esperança.
Chega expontâneo e sereno, como riso de criança.

Só agora compreendí…
que sonho não tem limite
e a felicidade existe e está perto…muito perto…
das nossas longas jornadas.

Só agora compreendí…
que teu amor era tudo, que enriquecia meu mundo
e era som em meu silêncio.
E isso tudo era vida
tudo isso era verdade…

Mas o que antes foi sonho, tornou-se, agora, saudade
de um mundo tão mais bonito
que me escapou, nem sentí…
E a vida que era tão minha, voou para bem distante
levou consigo momentos especiais, tão marcantes,
que não consegui guardar.

Por muito querer viver,
me perdí pelos caminhos
e fiquei só…e pequena
sofrendo com minhas penas, a saudade do meu ninho
da vida, tão cobiçada, que ví desaparecer…

Ficou tudo muito longe dos sonhos que acreditei
do amor que eu tanto sonhei!
Mas se foi…já não tem volta…
quis demais…pensei ter pouco…
sonhei tanto e como louco,
me debrucei na conquista do muito… e tudo perdí…

Porque o amor chega calmo, silencioso e discreto
e esteve sempre tão perto, mas não o reconhecí !
Não me sinto fracassada
sei que amei e fui amada
e pra realizar meus sonhos, estive perto…tão perto…
mas troquei o que era certo, por insanos devaneios
segui, fugaz e sem freio, cobiçando com anseio
o que eu não podia ter…
tolo fui…paguei o preço…
por tudo isso, padeço…
mas pra meu pesar eterno,
só agora compreendí…

———-o0o———-

Anúncios

SERIA MESMO A VIDA ? (J.G.DE ARAÚJO JORGE)

Agora que nos encontramos,
de repente compreendemos
que estávamos sozinhos…Que importa o que vivemos?
Que importa o que passamos?
Seria mesmo vida, a vida que levamos
por diferentes caminhos?
Agora que nos encontramos,
que te quero e que me queres
com uma força jamais pressentida…
Parece incrível, que eu já tenha
falado de amor a outras mulheres
e que antes de mim, pudesse ter havido
algum amor em tua vida…

———-o0o———-

AMOR DE MÃE (leni)

O dia inda nem chegou…e o sol, tímido e escondido,
acompanha comovido, a caminhada diária
dessa mãe, que segue em frente, com seus filhos
pra batalha…da vida, do dia a dia.

Frio, calor vento ou chuva, e ela segue, guerreira
semeando a semente que a terra em breve dará.
Plantando frutas, legumes e tudo o que a terra aceita
pra depois, recompensada, se preparar pra colheita.

Semeia amor, muito sonho, esperança e confiança
no coração de seus filhos…
prepara a terra, ara o solo, e os filhos sempre por perto…
um, pequenino, no colo, os outros, passos incertos
caminham…seguindo o rastro dessa mulher destemida,
que com força, enfrenta a vida.

No calor, ela os protege do sol…da grande jornada;
No frio, aquece e prepara seus filhotes pra batalha.
E assim, com sol, frio ou chuva, segue em frente a brava Amália
mulher firme e corajosa, guerreira, em dias de paz, vitoriosa e capaz
de entregar a própria vida, pelo bem de seus amores.

O coração, transbordando de amor, de sonho e poesia,
segue sempre a doce Amália, que não fugiu da batalha!
Ao lado de seu amor, segue a vida docemente,
em busca de tantos sonhos, que planejou, vida afora…
uns, conquistou no caminho…
outros, ficaram esquecidos no coração da Amália, que não fugiu da batalha!

Mas o que ela mais queria e por isso lutou tanto…
era criar os seus filhos valentes,
como ela sonhou um dia
e chegar realizada, feliz e vitoriosa,
rodeada de carinho dos filhos que protegeu, amou e entregou pra vida
e hoje, adultos, seguiram os passos retos e firmes
dessa mulher valorosa, lutadora e destemida.

Esta é a tua história.
Esta é a tua vida.
Esse é o exemplo que fica de mãe…mulher…companheira.
Por isso, todos rendemos esta homenagem sincera
pra você, mulher guerreira…mãe de fibra e de coragem
que abriu difíceis caminhos pra lutar por suas crias.

Agora, aqui, compensada, voce sabe que chegou…
terminou a longa estrada.
Teus filhos estão mais fortes, vencedores e felizes
venceu tantos desafios…ultrapassou as barreiras,
levou uma vida inteira pra chegar onde chegou.

Chorou, sorriu e…sonhou!
e esperou pela colheita de tudo que semeou…
uva, algodão, frutas, sonhos, amor e muita esperança!
De tudo você colheu e hoje, realizada, você sabe que venceu!
No coração, levou sonhos, nos braços, o filho risonho,
na cabeça, feixes de lenha.

Os outros filhos, seguiam a longa e difícil estrada
da mãe, que tão conformada, cuidou de toda ninhada
do marido, e dos dez filhos que chegaram
e se abrigaram nas asas dessa guerreira.

Ultrapassou as barreiras…
levou uma vida inteira, pra chegar onde chegou.
Mas chegou fortalecida, no ponto alto da vida.
Comemore tua chegada…ela é justa e merecida…
comemore, sábia Amália!!
pois na guerra dos teus sonhos, você venceu a batalha !!

———-o0o———-

AMOR IMPOSSÍVEL (leni)

Se um dia, eu sorrindo passar por você
fingindo alegria nesse olhar amante,
não me olhe…procure esconder de meus olhos
o amor que o destino me negou…no entanto,
de minh’alma não sai…e assim, vacilante,
eu procuro abafar esse sonho num pranto.

Não procure jamais entender se te amo
pois nunca saberás se te quero, ou engano.
Tentarei esquecer, ou fingir que esqueci,
abafando em minh’alma esse amor despertado,
que por ser impossível, terá que morrer,
pois não tinha o direito de tê-lo criado.

Eu quisera poder te amar loucamente
e que o mundo, esse amor só a mim entregasse
e em tu’alma, minh’alma enlaçada ficasse
sem mais nada temer…mas, loucura…não posso
e por isso, eu procuro fingir que esqueci
esse amor, pelo qual, sem alento e esperança,
numa febre de amor, em delírio tão louco,
nessa noite passada morri mais um pouco…!

———-o0o———-

MEU SEGREDO (Leni)

Se eu te dissesse que na noite escura
vejo teus olhos para mim brilhando,
e que na noite densa, que não finda,
teus lábios sinto, num perene encanto,
tu saberias do amor que agora sinto
e em mim, verias tu…se eu te dissesse…

Se tu soubesses que no inverno, triste,
o teu calor me acompanha e aquece,
e a minh’alma, que de amor chorava,
de solidão, agora não padece,
tu saberias do amor, que agora sinto
e em mim, verias tu…se eu te dissesse…

Se eu te pudesse confessar o pranto,
que nas horas amargas, por tí choro
e os momentos de dor, que me sufocam
nas longas horas, quando estás ausente,
tu saberias do amor, que agora sinto
e em mim, verias tu…se eu te dissesse…

Porém, não posso confessar-te agora
porque se tu soubesses, sofrerias
por não poder me amar completamente
então não falo e sofro só…calada…
e não desejo ouvir o que dirias,
se desse amor, um dia…eu te dissesse