VIDA VAZIA (leni)

Foi loucura buscar esse amor de amarguras
foi loucura buscar-te e sonhar com teus beijos
pois sabia que a vida não tinha beleza
e o mundo era mau, mentiroso e perverso…

Foi loucura pensar que eras meu…que era tua…
e querer incessante, ficar ao teu lado
pois sabia que a vida não tinha beleza
e meu mundo há muito, já estava acabado…

Foi loucura sorrir e sonhar acordada,
procurando nos sonhos alento pra vida
e querer encontrar a alegria almejada
pra uma vida sem paz…uma vida perdida.

É loucura esse mundo, loucura essa vida,
é loucura amar…e o impossível querer
mas no mundo, sozinha, caminhando perdida,
a maior das loucuras, é querer viver…

———-o0o———-

AMOR IMPOSSÍVEL (leni)

Se um dia, eu sorrindo passar por você
fingindo alegria nesse olhar amante,
não me olhe…procure esconder de meus olhos
o amor que o destino me negou…no entanto,
de minh’alma não sai…e assim, vacilante,
eu procuro abafar esse sonho num pranto.

Não procure jamais entender se te amo
pois nunca saberás se te quero, ou engano.
Tentarei esquecer, ou fingir que esqueci,
abafando em minh’alma esse amor despertado,
que por ser impossível, terá que morrer,
pois não tinha o direito de tê-lo criado.

Eu quisera poder te amar loucamente
e que o mundo, esse amor só a mim entregasse
e em tu’alma, minh’alma enlaçada ficasse
sem mais nada temer…mas, loucura…não posso
e por isso, eu procuro fingir que esqueci
esse amor, pelo qual, sem alento e esperança,
numa febre de amor, em delírio tão louco,
nessa noite passada morri mais um pouco…!

———-o0o———-

SONHE… (leni)

Não deixe teu sonho morrer…
Não deixe apagar essa chama
que insiste em ficar acesa.

Mesmo em momentos sombrios,
mesmo em planos fracassados,
ainda que abandonado,
insista em sobreviver…

Lute…prossiga…caminhe…
em busca de um horizonte
que em algum lugar distante
ainda deve existir

O sonho é teu, ninguém rouba
não desista…siga em frente…
alimente em sua mente
onde pode e quer chegar.

E assim, de meta em meta,
de sonho em sonho alcançado,
você verá, deslumbrado
que sonho não tem final.

Que não se acaba, não morre,
e enquanto vive, ilumina a estrada do sonhador
e brilha ainda mais claro,
pra te mostrar sempre, o norte
e te deixar bem mais forte, pra não perder nos caminhos
a fé, a força, a esperança
e aumentar a confiança
na construção dos teus sonhos

Não tenha medo da vida,
nem tampouco, do futuro.
Enfrente…mesmo no escuro, se tiver que caminhar
pra realizar teu sonho,
pra encontrar teu caminho
pra chegar, mesmo sozinho,
onde pode…e quer…chegar..

———-o0o———-

SONO DE POETA (leni)

Mergulhado em seus poemas,
ele repousa…tranquilo…
com um semblante sereno,
de quem navega em seus sonhos,
ele dorme…docemente…

Como é triste a sua vida !
como palhaço, no palco,
representa noite e dia
semeando em seus poemas,
o seu mundo imaginário.

Ele dorme…deixe que o faça…
Não o perturbe, pois sonhando,
está em seu mundo ilusório
e nesse estágio, é feliz
e sua paz é completa.

Não o traga para a vida
pois é triste a realidade,
quando se é um poeta…

———-o0o———-

ESTRADA VAZIA (leni)

Se um dia você partir, leva também essa lua,
pois não a quero comigo,
iluminando as estradas que sozinha irei seguir…

Quero bem escura a noite
e sem luz o meu caminho
pra que ninguém reconheça esse vulto solitário
caminhando sem você…

Quero a noite, passo a passo, caminhar esse caminho
e chorar o meu fracasso
e esse resto de saudade…

Quero me perder na noite e não achar a saída…
quero ficar esquecida e definhar pouco a pouco,
nessa estrada que era nossa…

Quero escrever inda um pouco,
depois morrer em meus versos…
quero ainda achar um tema, que possa falar de nós
e deixar para você esse resto de poema…

———-o0o———-

DESABAFO (leni)

Ontem, chorei…
chorei de solidão, chorei de ingratidão,
chorei de rejeição,
chorei até a exaustão…

Chorei de incredulidade, diante da realidade.
Chorei por tudo e por todos.
Chorei por todas as mães
e por toda a humanidade…
chorei por necessidade…

Chorei também de saudade,
pelo que nem cheguei ter!
Chorei pelo que já tive
e deixei pelos caminhos…
pela falta do meu ninho…

Pela falta de atitude,
pela falta de coragem e também de ousadia
pra recomeçar a vida…
Agora, sou dividida!
Meio ontem, meio agora,
meio noite, meio dia.

Não sei mais como ir embora
e retomar meu caminho.
A noite já se aproxima
e o dia está indo embora,
levando consigo, tudo que consegui vida afora.

Quantas coisas desprezei…
tantas outras, nem tentei !
Por isso tudo, lamento,
por isso tudo, padeço,
por isso, ontem chorei…

———-o0o———-

VIAGEM PROGRAMADA (leni)

E a mala pronta…eternamente pronta…
num canto ermo da imaginação.
E o sol na porta
me cobrando a vida,
me cobrando os sonhos,
me mostrando a hora

E a mala pronta…eternamente pronta…
e essa ilusão, a me chamar de volta.
E o sol na porta,
me mostrando a vida,
me mostrando os sonhos,
me cobrando a hora.

Lá fora, é dia…enquanto dentro, há noite…
E o sol na porta, enquanto dentro, há sombra.
Arrumo a mala – que já estava pronta –
saio pra vida, pra buscar meus sonhos
e enfrento o mundo…carregando a mala…

———-o0o———–

PARALELOS (leni)

Você e eu…
dois corpos e dois temas
soltos no tempo e no mesmo espaço
seguindo sempre por caminho incerto
vidas partidas por quilômetros de passos…

Você e eu…
dois sonhos, duas rimas
dois pensamentos presos em dois temas
vagando errantes pelo infinito
somos versos incompletos, sem formar poema…

Você e eu…
dois mundos…infinito…
se procurando, sem poder se achar
distanciando-se sempre em seus caminhos
correndo juntos, sem nunca se alcançar…

Caminhamos em ângulos opostos
somos dois paralelos…dois fantoches…
Você e eu…
uma ilusão…duas saudades…

———-o0o———-

DÚVIDA ( leni )

Já nem sei mais dizer se te amo…ou amei…
pois não sinto pulsar em minh’alma dorida,
alegrias que outrora, incessantes brincavam
em meus sonhos, sentido tua voz querida

Já não brilha em meus olhos, a mesma chama ardente
que outrora brilhava em minhas noites frias
e a vida, que um dia, senti palpitante,
não possui mais amor, eu a tenho vazia…

E nem sei explicar essa louca mudança,
se meus sonhos, banhados de amor e esperança
procuravam teus olhos tão puros e calmos
numa ânsia de amor, te buscando, e ora vejo
tudo isso ruindo…

E assim, num lampejo, esse amor que era meu,
destruido…acabado…

Eu queria voltar a te amar loucamente
e vibrar ao ouvir tuas frases queridas
que me traziam paz e me prendiam a vida
e perder-me em teus braços, sonhadora e amante,
esquecendo do mundo e dessa vida errante…

Mas, amor como antes, sentir já não posso
e prossigo chorando e solidão sentindo
em meus olhos de inverno tão frios e tristes.

E sem ninguém no mundo, sigo a triste jornada.
E num lugar qualquer, em qualquer uma estrada,
vou parar e morrer…
pois sentí que no mundo, dessa vida mesquinha,
já não tenho mais nada…

FEBRE DE AMOR ( leni )

Eu pensei que pudesse esquecer teu carinho
e nunca mais sentir dentro em mim, a ilusão
que nasceu e ora vive esmagando-me a vida
num constante sofrer, em meus olhos vazios.

Eu pensei que na vida outro alento encontrasse
e nunca mais voltasse a sentir o que sinto
e nunca mais sofresse por teu amor ingrato,
e por você, meu bem, eu nunca mais chorasse.

Eu pensei…e lutei…pois queria esquecer
o amor impossível que em mim despertara
e aos poucos crescera…e então, como espinho,
os meus sonhos de amor um a um, sufocara.

Mas eu não consegui afastar de meus sonhos
essa febre de amor que com fúria invadia
transtornando minh’alma, pensamento e vida
e não pude retê-la…e por ela morria.

Por esse amor sofrendo, vou seguindo sozinha
procurando consolo em meus olhos tristonhos
e voltarei chorando à minha triste estrada,
a andar, como sempre, em caminhos de sonhos…